quarta-feira, 28 de junho de 2017

RODA DO ANO WICCA


Não podemos considerar a Wicca “nova”. Ela é uma religião Xamânica, logo, se conectando com os fenômenos da Natureza, acreditando em Uma Deusa e Um Deus seu consorte.
A Wicca, formada por Gerald Gardner no final de 1950, quando foi revogada a Lei contra a Bruxaria. Gerald Gardner foi seu fundador. Antropólogo e estudioso da Antiga Religião, este homem junto com Margareth Murray, egiptóloga, difundiram a Antiga Religião. Em 1921, Murray, publicou o Culto à Feiticeira na Europa Ocidental. Foi uma das pessoas que mais lutaram mostrando que havia um culto das feiticeiras e que o Sagrado Feminino e o culto ao Deus e a Deusa existiram.
A Tradição Athena Pronaia afirma que a Deusa é uma só, manifestada em todo planeta, com nomes e cultos diferentes. O mesmo se aplica ao Deus Cornífero e assim como Ela, Ele também passa pelas fases de Jovem, Pai e Ancião. Juntos têm Criança da Promessa, formando assim a Tríade Sagrada.
Há a crença de uma energia Universal que chamamos de Una. A Grande Mãe e o Deus Pai, formando assim o Casal Divino.
A Wicca, celebra as noites de Lua Cheia, uma das representações da Deusa em sua fase  Mãe. Chamado de Esbá, somente as mulheres podem olhar direto para a Deusa, os homens, olham através da taça com água ou vinho branco eu através de um espelho.
A Roda do Ano celebra as Estações do Ano, contando a saga da Deusa e do Deus e Seu Filho Sagrado. Tem também vários aspectos, pois fazem parte da natureza humana, formar grupos, juntar-se e daí viver sociedade. Para que isso se tornasse possível, a colheita, a agricultura, sempre foi a motivação para que houvesse celebrações, e assim, honrando a Natureza em todos os seus aspectos. Obviamente, o aspecto mágiko está incluso.
No Hemisfério Norte as datas são diferentes. Há Wiccanos do Hemisfério Sul que não rodam pelo Norte, mas isso não é empecilho para a celebração da Wicca.
Assim é a Roda do Ano com a Saga da Deusa e do Deus. Com seus Mistérios, cada Tradição contem suas variações e segredos. Mas todas celebram as fases misteriosas do Casal Divino e da Criança da Promessa.

Eis os Símbolos Wiccanos das Celebrações:

Com esses símbolos, pode-se colocar em seu Livro de Sombras ou em ao comemorar aquele festival ou relatar alguma coisa concernente a celebração.

A RODA DO ANO


SAMHAIN: H.S. 30 de ABRIL/ H.N. 31 de OUTUBRO
Festival dos Mortos e Ano Novo e há uma linha tênue e os véus entre os mundos. Neste dia, os mortos estão soltos vêm pra estar em nosso plano. Podemos neste dia, vamos honrar os, nossos mortos, a ancestralidade é celebrada; a Deusa está em seu aspecto de Anciã Sábia. Neste período de recolhimento interior.
O Deus está morto e Ela pranteia a Sua Morte dando lugar ao Inverno que chega, trazendo recolhimento e introspecção. A Deusa rege neste período. Ele segue para Summerland ou Campos Elísios, aonde tudo é doce e suave.
Este festival foi cristianizado como “Dia de Todas as Almas” ou Dia de Todos os Santos. Se observarmos é o fim e um recomeço de forma simultânea.
Como enfeitar e celebrar?
Cores das velas toalhas e decorações: Preta, lilás e laranjas.
A decoração de caveiras; abóboras esculpidas, lanternas, morcegos, corujas, vassouras e bruxas na vassoura. Fotos dos Ancestrais, colocados na mesa do altar como oferta de maçãs.
Comida: Peru, pato; torta de abóbora; pão de milho; vinho, cidra; purês e assados.
Celebre os ancestrais! 
Coloque as fotos de seus antepassados! Honre-os! Foram e são sua linhagem nesta passagem de vida na terra.
 Fim de ano e renovação! Um Ano Novo surge! Blessed Be!
YULE H. S. 21/JUNHO (SOLSTÍCIO DE INVERNO)
Neste período de frio, o Deus nasce! Eis a vinda da Criança da Promessa! O Filho do Sol virá restaurar a Natureza para que a colheita possa ser feita. Esperanças são reavivadas. Luzes são colocadas nos pinheiros e toras de Yule. O azevinho, hera e visco, são plantas mágikas . Cores brilhantes com vermelho e verde, enfeites, celebram a vinda da Criança tão esperada que irá renovar o planeta. É celebração ao Sol propiciando a vinda de boa colheita e o gado saudável e um novo momento para planejar um futuro própero e de idéias novas.
A tradição relativamente moderna de decorar árvores de Natal é costume que se desenvolveu dos bosques de pinheiro associados à Grande Deusa Mãe. As luzes e os enfeites pendurados na árvore como decoração são, na verdade, símbolos do sol, da lua e das estrelas e também representa as almas dos que partiram. Celebra-se com bolos de frutas, peru assado, vinho quente com especiarias, ou seja, ervas apropriadas; pudins; tortas, nozes, castanhas, pão de gengibre, bolo de frutas...
IMBOLC ou BRIGHANTIA: 1.° DE AGOSTO H. S. (Imbolg, Oimelc, Candlemas, Lupercalia, Festa de Pã, Festa das Tochas)
Os dias vão se tornando mais longos e a Primavera começa a dar os seus vestígios; a  Deusa se recupera e a Criança da Promessa cresce cheia de vitalidade e feliz, trazendo cada vez mais esperança para a humanidade! É um período de crescimento espiritual e satisfações em ambos os aspectos.  Também é um Festival das Luzes! Algumas bruxas seguem o antigo costume escandinavo de usar coroas de velas acesas.
Também podemos celebrar como festival do Deus Pan. (Fertilidade)
Seu simbolismo: é a Pureza, Crescimento, Renovação, União da Deusa e do Deus, Fertilidade e encerrar o antigo e fazer o novo. Nesta comemoração, vemos a Deusa Anciã se transmutar para Donzela.
Como vamos Celebrar?
Divindades de Imbolc: Todas Deusas Donzela: Aradia, Athena, Brighid,  Inana, Gaia, e Februa e Deuses do Amor e da Fertilidade, Aengus Og, Eros, Pã,  e Februs.
Decorações: Boneca de Milho, Vassoura, Flores de Primavera.
Símbolos: Flores Brancas, Roda de Velas, Cruzes de Brighid, Varinha de condão Bolsinhas com corações rosa para colocar os desejos.
Toalhas, velas e decorações nas cores: Cores: Branco, Laranja, Vermelho, Rosa, Amarelo, Verde, Marrom.
Incenso: Alecrim, Olíbano, Mirra, Basílio, Glicínias, Canela, Violeta, Baunilha.
Ervas: Angélica, Manjericão, Tussilagem, Heather, Iris, Mirra, Violetas, e todas as flores brancas ou amarelas.

Comidas: Carne ensopada com legumes; manjar, carneiro; queijo, peixe, biscoitos; lentilhas, alho prro.Práticas em Imbolc: Iluminação com Velas, observar a chegada da Primavera, Confeccionar a cama de Brigit; Confeccionar uma Varinha de Condão, Recolher alguma Pedras, Decoração com Galhos, Se reunir com amigos ou irmãos de Coven e comer em uma fogueira.
OSTARA 22 DE SETEMBRO NO H.S. (EQUINÓCIO DA PRIMAVERA)
Os dias tem a mesma duração de horas. O Sol se torna cada vez mais forte, O Deus está forte. Ele é o próprio Sol e a Deusa é Virgem. Esse é o Mistério Sagrado Dela, pois Ela não morre e sim se transmuta. O Amor entre Eles é cada vez mais intenso. A Fertilidade já está a se apresentar.
Decoração: toalha azul pastel, lilás as velas também dessas cores; ovos decorados.
Comida: Ovos, manjares, galinha, carneiro, ovos, carneiro
Símbolos: Ovos decorados; buquês de lírios amarrados com fitas lilás e branca. 
Este período é muito alegre para as crianças! Coloque seus filhos, netos, crianças amigas, para decorarem os ovos. Muitas alegria infantil, trará uma energia de felicidades e prosperidades além de agradar a DEUSA.
BELTANE: 31 DE OUTUBRO H. S. e HEMISFÉRIO NORTE SAMHAIN
O nome "Beltane" deriva de Bel, o deus celta do fogo, honrado e propiciado com fogueiras acesas em colinas sagradas. A fumaça do fogo abençoou os campos, animais e comunidade mantem o equilíbrio cuidadoso entre os reinos humano e o das fadas. "Tradicionalmente", escreve Glennie Kindred (em Celebrações Sagradas), "todos os incêndios na comunidade foram apagados e um fogo especial foi aceso para Beltane. Este era o Teineigen, o 'fogo de necessidade'. As pessoas saltaram o fogo para purificar, purificar e trazer fertilidade. Os casais pulou o fogo juntos para se comprometerem uns com os outros. Bovinos e outros animais eram conduzidos através da fumaça como uma proteção contra a doença e para trazer fertilidade. No final da noite, os aldeões levariam alguns iniciavam seus fogos novamente. "
LITHA H.S. 21 de DEZEMBRO E 20 DE JUNHO H.N. (SOLSTÍCIO DE VERÃO)
É Verão, a Deusa Sua Rainha e o Deus reina cheio de força e virilidade O Sol está em seu ponto máximo. É Solstício de Verão e um ritual na praia é bem aconselhável. Na Europa é festejado com grandes fogueiras, pois representavam e representam o poder do Deus e dando mais força a Ele, para que o Inverno, não seja tão rígido. 
. A água é o elemento utilizado para abençoar as pessoas, assim como os poços e as fontes. Os Elementais festejam alegremente na Natureza. 
Pular a fogueira era uma forma que nossos ancestrais viam de fazerem crescer suas plantações. Quanto mais alto pulavam, mais cresciam as suas plantações.  Devemos neste período, pedir alegria, coragem, amor e força para enfrentar o dia-a-dia.
CELEBRAÇÃO
Os Deuses Solares como Apolo, Lugh, são celebrados e as Deusas da Fertilidade como Eostre, Astart, Oxum,
As ervas são: sementes de girassol, limões, alecrim, funcho, camomila, canela, lavanda, dente de leão.
As comidas são, porco, abacate, salada de frutas, todas as frutas da estação. O BRASIL é rico em frutas, então coloque uma mesa farta em frutas. Não deixe de colocar sucos, cervejas e muitas água!
Os símbolos são animais com chifres, rodas amarradas com fitas, fogueira, e construa um pote de desejos, imitando uma fonte ou poço. Vamos colocar as idéias para funcionar!
LAMMAS OU LUGHNNASAD H. S. 2 DE FEVEREIRO E
É a Primeira Colheita, o primeiro Sabbat, aonde celebra o que foi colhido. Bonecas de milho são representadas e assim como as espigas e ramos de trigo, são símbolos deste Sabbat. No passado faziam um boneco de palha, e também hoje e ofertam as melhores colheitas e se queima para honrar ao Deus para que haja fartura. 
. É um festival também do fogo, devido ao Deus Lugh, o Deus Sol dos celtas. Podemos também ofertar ao Deus Apolo ou a Hélios, o próprio Sol.
Como Ofertar:
Deuses: Todos das colheitas e dos grãos.
Cores: Dourado, laranja, vermelho, marrom e amarelo;
Plantas e Ervas: Milho, cevada; trigo, centeio; girassol; lilás.
Comida para o Ritual: Galinha ou bife grelhado; pudim de pão; saladas de frutas; porco assado, pão de milho; vinho tinto e branco; bolos.
Símbolos: Pentagrama, pão; cesto cheios de milho e vegetais frescos; vassoura, forno e tudo que há em uma casa.
MABON 20 DE MARÇO E 22 DE SETEMBRO NO H.N
O nome Mabon veio de um Deus irlandês e Celta (Angus) o Deus do Amor.
É a segunda colheita, o segundo Sabbat. Os dias e as noites tem a mesma duração. Neste período, devemos encher nossa casa de bênçãos, salpicando água com essências aromáticas como calêndula ou mirra; arrumar a casa, retirando tudo que não usamos mais e o que não mais queremos e doar aos necessitados. 
Devemos pedir para todas as pessoas que amamos e também para os velhos e desprezados, os doentes e abandonados por sua família.
Podemos também honrar os ancestrais. Perséfone é uma Deusa que é honrada neste período na TAP.
As luzes e as trevas se equilibram novamente; porém o Sol começa a minguar mais rapidamente. O Deus torna-se então o Ancião, o Senhor das Sombras.
Mabon é um ritual de agradecimento pelos frutos da terra e um reconhecimento da precisa compartilhá-los para assegurar as bênçãos da Deusa e do Deus durante os meses de inverno.
Como Celebrar?
Símbolos de Mabon: Vinho, cabaças, pinhas, bolotas, grãos, milho, maçãs, romãs, videiras, como a hera, sementes secas, e os chifres da abundância.
Ervas: Benjoim, samambaias, grãos, madressilva, calêndula, serralha, mirra, flor da paixão, rosa, sálvia, selo de Salomão, o tabaco, o cardo, e legumes.
Alimentos: Pães, nozes, maçãs, romãs e legumes como batatas, cenouras e cebolas.
Incenso: Mistura de benjoim, mirra e sálvia.
Velas: Amarelas, laranja, vermelho ou ouro velho.
Cores: Vermelho, laranja, castanho-avermelhado, marrom claro, marrom escuro e ouro.
Toalha estampada nestas cores com motivações de frutas, flores, etc.
Atividades de Mabon: Fazer o vinho, recolhendo ervas secas, plantas, sementes e vagens da semente, andando na floresta, espalhando ofertas em campos colhidos, oferecendo libações a árvores, adornando os locais de sepultura com folhas, bolotas e pinhas para homenagear aqueles que já passaram por aqui.
Lembrando que é proteção, prosperidade, segurança e auto - confiança. Também harmonia e equilíbrio, não esquecendo, de nossos antepassados.

Chega novamente Samhain e então o ciclo recomeça, e assim tudo retorna à Deusa. Assim sempre foi e será! 
CELEBREM! CELEBREM! CELEBREM!
BLESSED BE!

2 comentários:

TURMAS DE FORMAÇÃO DE BRUXAS ECLÉTICAS 2018